Praça da Matemática, turismo científico em Itaocara, Rio de Janeiro

“Se você amigo, tem alma de turista, e deseja conhecer uma cidade realmente curiosa e interessante, não perca tempo. Vá logo a Itaocara.”

Malba Tahan – Revista Al-Karismi nº 1, maio de 1946.

 

Idealizada por um prefeito visionário na cidade de Itaocara, interior do Rio de Janeiro, a Praça da Matemática, onde um monumento extremamente original homenageia esta ciência, é hoje um grande motivo de orgulho para a população da cidade.

O mundo estava em plena Segunda Guerra Mundial e o Brasil vivia o Estado Novo, com o governo do Estado do Rio de Janeiro comandado por um interventor, Ernâni do Amaral Peixoto.  Mais precisamente no dia 1º de julho de 1943, Carlos Moacyr de Faria Souto, prefeito de Itaocara, na época com 29 anos, mandou erguer uma praça em homenagem à Rainha das Ciências na confluência das avenidas Presidente Sodré e Frei Tomás, com frente voltada para a praça Rui Barbosa.

Convidado pelo prefeito para dirigir o projeto, o matemático Malba Tahan (mistificação literária de Júlio César de Mello e Souza) promoveu um concurso para a escolha do melhor projeto, entre os acadêmicos de arquitetura da Escola Nacional de Belas Artes da Universidade do Brasil, hoje, Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), sendo vencedor o Sr. Godofredo Formenti. O prêmio oferecido pela Prefeitura de Itaocara foi a quantia de quinhentos mil réis.

A Praça foi construída pelo Sr. Italarico Alves, morador de Itaocara e único construtor oficial da cidade e que apesar da pouca escolaridade, realizou um trabalho geometricamente perfeito, sob a coordenação de Malba Tahan.

O monumento, considerado o primeiro no mundo sobre o tema, é constituído por duas pirâmides hexagonais entrelaçadas.  Nas faces superiores foram gravados vários símbolos e sinais matemáticos (log, quadrado mágico, (X + a)m, sen2x + cos2x = 1, f(x), ∆x, i=√¯-1, lim, ∞,  =, etc.) que lembram conceitos ou teorias importantes como o Postulado de Euclides, o Teorema de Pitágoras entre outros.

As pirâmides estão construídas sobre três discos concêntricos sobrepostos e são cercadas por três volumes geométricos: uma esfera, um cone e um cilindro.

Sobre um dos discos gravados em bronze pode-se ler citações exaltando a Matemática:

    • Leibnitz – “A Matemática é a honra do espiríto humano”
    • Kepler – “Medir é saber”
    • Platão – “Por toda parte existe a geometria”
    • E Malba Tahan – “A Matemática é a grande poesia da forma”.

Entre outras.

Nas cinco faces da pirâmide mais larga se destacam em ordem cronológica nomes de celebridades do conhecimento.

O Monumento à Matemática passou por mais uma reforma no ano de 2002, por iniciativa do Prefeito Manoel Queiroz Faria, que reconheceu a necessidade de conservar a grandiosa obra, porém com a preservação de sua estrutura original, o que representa a garantia de perpetuação histórica de uma homenagem ímpar à Matemática.

Em 18 de maio de 2007 o Monumento à Matemática em Itaocara foi tombado como Patrimônio Histórico e Cultural do Município de Itaocara, por meio da Projeto de Lei 011/007, do vereador Luiz Carlos Lopes Barbosa e segue sendo um dos principais atrativos turísticos da cidade.

Com o objetivo entender a geometria, nada melhor que partir para a prática. Então a Praça da Matemática tem sido usada para uma espécie especial de turismo: o turismo científico. Veja abaixo:

Saiba mais sobre a Praça da Matemática lendo o livro  “Praça da Matemática: As faces da história na construção de um monumento” de Augusto Cesar Aguiar Pimentel.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *